Entre a cruz e a espada

Após a saída de Sérgio Moro de seu governo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se vê em uma verdadeira encruzilhada, um dos nomes caseiros cotados para substituir o ex-juiz e ex-ministro pode trazer mais complicações para o Planalto e a missão de encontrar alguém disposto a entrar no governo parece complicada.

O atual ministro Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, preferido do presidente para o cargo já manifestou a pessoas próximas que sua possível ida para o cargo não será boa para o governo. O motivo é simples: Oliveira tem relações com a família Bolsonaro. Seu pai, assim como ele, já foi parte do núcleo duro de mandatos do próximo presidente e de um de seus filhos.

O Planalto procura outros nomes, mas Bolsonaro prefere que o atual ministro no cargo.

A cruz de Bolsonaro é permanecer com uma solução caseira, mas que vai trazer cheiro de suspeita após as acusações de Moro. A sua espada é encontrar alguém dispostos a embarcar no governo após… as acusações de Moro.

As soluções da cozinha do Planalto não querem o lugar de Moro, alguém em sã consciência não aceitaria embarcar em um governo que tem cheiro, cara e cada vez mais jeito de que vai acabar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.