“VACINAS: Proteção que dói no bebê e nos pais!”

Toda mãe não ver a hora de ver o rostinho do seu bebê, pegá-lo nos braços e enchê-lo de amor… conta os dias para o 1º mês, comemorar com a família e amigos o seu primeiro mêszinho. Só que não consegue imaginar seu bebê tomando 4 doses de vacinas, aquelas tão famosas VACINAS que doem na alma! Eu, pessoalmente, não consigo ficar na sala da enfermaria, nem ao menos segurar o João. Vê-lo chorando, gritando e sendo furado uma, duas, até mesmo três vezes, me parte o coração!

Ronan, por sua vez, faz seu papel de pai, sempre presente nos momentos do nosso pequeno, segura-o, sofrendo, mas o acompanha para assim imunizá-lo de muitas doenças, onde temos a opção de evitá-las!

Hoje, perto de completar seus 5 meses de vida, mensalmente sofremos com essas dolorosas vacinas, que ocasionam enjoos, muito choro e até mesmo febre, dores musculares que não podemos sequer pegar em suas perninhas.

Mas, como todos nós, cidadãos, é de direito nosso ter acesso às vacinas, todas elas bem explicadas na caderneta do bebê, na parte específica de vacinação.

Até os seis meses, nosso pequeno é imunizado mensalmente, repetindo as doses. Após os seis meses, retorna aos nove meses, e em seguida, com 1 ano de idade. E assim, continuadamente preenchendo sua caderneta de acordo com os períodos de vacinas.

É dever e obrigação de toda mamãe e papai levar seus filhos para vacinar e evitar doenças como PARALISIA INFANTIL, MENINGITE, COQUELUCHE, POLIOMELITE, TÉTANO, PNEUMONIA, etc.

Mesmo com todo sofrimento momentâneo, é de suma importância manter sempre em dias as vacinas dos nossos pequenos!


Visite as nossas páginas no FacebookTwitterInstagram e Flipboard. Ouça os nossos podcasts.